Arquivo de setembro de 2013

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Pensando em se tornar jornalista? Melhor virar PM…

Recentemente, o site Adzuna, especializado em busca de empregos, analisou mais de 2.000 profissões para fazer uma lista com os piores ofícios do Brasil. O estudo avaliou itens como potencial financeiro, ambiente de trabalho, competitividade e demanda de mercado. Veja o resultado, em ordem decrescente de perrengue: 

1. Motoristas de ônibus
2. Entregadores
3. Assistentes de cozinha
4. Jornalistas
5. Policiais
6. Vendedores
7. Empregadas domésticas
8. Garçons
9. Assistentes sociais
10. Seguranças

Compartilhar

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

À vontade na firma

“Aconteceu uma coisa muito fofa agora. O telefone do escritório tocou e uma voz de criança disse: ‘Por favor, vocês trabalham com roupas?’ Sem pestanejar, respondi que não e logo ouvi a gargalhada da menina: ‘Ah, então tá todo mundo pelado aí?’.”

Do Facebook de Marcílio Godoi

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Com quais palavras o mal se expressa?

Fotos do projeto Unbreakable, criado por Grace Brown, em que vítimas de abuso sexual revelam
o que escutaram de seus agressores
Clique nas imagens para ampliá-las

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

O criado-mudo é o cemitério da poesia?

“Na casa de solteiro
nas casas de casado
nunca vi ninguém
nunca vi alguém
lendo livro meu.

Livro de cabeceira
livro na cabeceira
mas não livro seguro
aberto com duas mãos
lido por dois olhos.

Livro sempre fechado
em copas, entre capas
livro entre leituras
suas velhas folhas
sempre novas em folha.”

Doméstico, poema de Armando Freitas Filho

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Se piorar, melhora?

Era tão do contra que fez furinhos na arca de Noé.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Já lhe ocorreu morar num musical?

“Todas as tardes, às 17h, pontualmente, uma canção invade as ruas de Tóquio. Dura uns 30 segundos. Nunca falha. O som vem de alto-falantes instalados em postes, e a escolha da trilha varia dependendo da região da cidade. No meu bairro, toca uma canção de ninar tradicional chamada Yuuyake Koyake, que toda criança japonesa cresce ouvindo. Haviam me dito que se tratava de um aviso para as crianças de que a noite se aproxima e que elas devem voltar para casa. A explicação faz sentido e é poética. Combina com um lugar em que tudo funciona por meio de regra coletiva e é comum ver crianças irem desacompanhadas à escola. Depois, porém, no site da prefeitura, descobri que o objetivo daquela música diária é verificar que os alto-falantes estejam funcionando em caso de catástrofe ou terremoto. Também faz sentido. Uma função não invalida a outra. Com uma cajadada, matam-se dois coelhos. Ou, como se diria por aqui, Isseki Nicho.”

Trecho do artigo Um coração de metal, escrito por Alexandre Vidal Porto

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

O jornalismo é necessário? Nem sempre

Entrevista com o cantor Rodrigo Amarante, do Los Hermanos
Dica de Biah Percinoto

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Resistirei aos apelos de uma dama solteira e rica, que acabou de perder o pai?

“Eu sou a senhorita CLARA yayu DAVID, senhora simples (nunca se casou). Estou planejando mudar-me para o seu país para fins de investimento com o fundo deixado para mim pelo meu falecido pai. Eu tenho alguns fundos – $ 7.500.000,00 (sete milhões e quinhentos mil dólares norte-americanos) – e quero investir em farm, hotel e transportes. Preciso de você no ato como meu parceiro de negócio. Vamos discutir o percentual sobre a sua participação. Por favor, eu quero que você tratar esta informação como uma mensagem urgente e responder-me sem demora para que eu possa tomar minha decisão final. Mais detalhes serão fornecidos a você assim que eu ouvi-lo e você enviar seus dados pessoais também.”

E-mail que recebi hoje pela manhã

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Faltavam dez minutos para o nada

“meu tio,
que ontem mesmo
perguntou as horas,
já não está

em lugar algum,

já não está
onde seu corpo está.

seu corpo está
ali, enguiçado.

meu tio
deitou-se sobre si.”

Trecho de A Morte, poema de Rodrigo Madeira

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Fome de marca

Charge de Erasmo
Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz