Arquivo de janeiro de 2013

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

All we need is love

“A primeira pista, a lição número um da história humana sobre o tema da não violência, é que não existe palavra para ela. O conceito foi louvado por todas as principais religiões. Ao longo da história houve praticantes da não violência. Mas, apesar de todas as principais línguas terem uma palavra para violência, não há nenhuma palavra para expressar a ideia de não violência, exceto que ela não é violência. Em sânscrito, a palavra para violência é himsa, dano, e a negação da himsa, exatamente como a não violência é a negação da violência, é ahimsa _não causar dano. Mas se ahimsa é ‘não causar dano´, é fazer o quê?
A única explicação possível para a ausência de uma palavra proativa para expressar a não violência é que não só os establishments políticos como os culturais e intelectuais de todas as sociedades viam a não violência como um ponto de vista marginal, uma rejeição fantasiosa de um dos componentes principais da sociedade, um repúdio a algo importante, mas não uma força séria por si só. Ela não é um conceito autêntico, mas simplesmente a negação de outra coisa. Foi marginalizada porque é uma das raras ideias verdadeiramente revolucionárias, uma ideia que busca mudar completamente a natureza da sociedade, uma ameaça à ordem estabelecida. E sempre foi tratada como algo profundamente perigoso.”

Trecho de Não Violência, livro do ensaísta Mark Kurlansky
Compartilhar

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Sinergia

Há como ser sem estar?

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Qual a semelhança entre a Venezuela e o SBT?

Em ambos, ninguém tira o Chaves.

Do humorista José Simão

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Uma invenção

“‘É um robô?’
Aura me mostrava um desenho que tinha feito, de um par de sapatos de amarrar cercado de minúsculas notas manuscritas e traços de linhas oblíquas e onduladas. ‘São sapatos que atendem quando você chama’, ela disse.
‘Está querendo dizer que basta você chamar Ei, sapatos, venham cá que eles vêm andando na sua direção?’
‘Isso mesmo’, respondeu ela. ‘Bem, você não pode estar muito longe. E eles não conseguem subir nem descer escadas…’”

Trecho de A Onda, relato memorialístico do romancista norte-americano Francisco Goldman

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

E se o cozinheiro viajar na maionese?

“Rosca de mosca
Nhoque de minhoca
Batata de barata
Palmito de mosquito
Repolho de piolho
Cuscuz de avestruz
Morango de orangotango
Fubá de gambá
Filé de chimpanzé
Pudim de pinguim”

Trecho de Pirou na Batatinha, canção de Taciana Barros e Luzia Barros
Interpretada pelo Pequeno Cidadão
A animação é de Bruno Galan
Imagem de Amostra do You Tube

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Um estranho paradoxo

O começo sempre termina, mas o fim, não. O fim nunca tem fim. É, portanto, infinito?

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Desenho pergunta?

Décima quinta ilustração de uma série que o artista
paulistano Ganu publica semanalmente neste blog
(clique na imagem se quiser ampliá-la)

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Pátria, família e improbidade

Tirinha de Angeli
(clique na imagem para ampliá-la)

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

No creo en calendarios, pero que los hay, los hay?

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Perguntar demais mata?

Dica de Maria Helena Brasil Chagas
Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz