Arquivo de agosto de 2011

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Intensivão

“Aos 14 anos, você diz que seu pai não sabe nada. Aos 21, você se pergunta: ‘Nossa, como ele conseguiu aprender tantas coisas nesses sete anos?'”

Do jornalista Marcelo Duarte
Compartilhar

terça-feira, 16 de agosto de 2011

E se os escritores fossem marinheiros?

Clique na imagem para ampliá-la
Dica de Laila Abou Mahmoud 

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Como vai se chamar a bola da Copa no Brasil?

Jaburlamos.

A partir da crônica Ueba! Globo lança “O Canastro”!, de José Simão

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

No mundo corporativo, todo dia é Hallowen?

Cartum de Alves

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

A diferença entre Justin Bieber e Sebastian Bach

Compenetrado, o menino de três anos “tocava” um pianinho na sala.
– Não vai cantar?, indagou a mãe.
– Não. Só faço música instrumental.

Episódio ocorrido com o sobrinho de Alberto Villas

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Meu bem, meu mal

Das tristezas que já amarguei, nenhuma me deu mais alegria do que você?

A partir da canção Levarei, de Pélico    

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Eternidade pra quê?

“A morte de Sartre nos separa. Minha morte não nos reunirá. Assim é: já é belo que nossas vidas tenham podido harmonizar-se por tanto tempo.”

Trecho de A Cerimônia do Adeus, livro da filósofa Simone de Beauvoir

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Topless

Hoje me toquei, com um misto de gozo e preocupação, que o teclado do meu computador está repleto de mulheres. Existem as de seios normais ( . )( . ),
as de seios perfeitos (o)(o),
as de seios assimétricos (•)(.),
as de seios grandões (o Y o),
as de seios pequeninos (.)(.),
as siliconadas ( + )( + )
e as friorentas (^)(^),
além das bem velhinhas ././.
E agora? Como encontrarei paz para escrever?

A partir de uma campanha contra o câncer de mama que circula pela internet

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Subversiva

“(…) Ângela é doida. Mas tem uma lógica matemática na sua doidice aparente. E se diverte muito a escandalosa. Aguça-se demais e depois não sabe o que fazer de si. Que se dane. Entre o ‘sim’ e o ‘não’ só há um caminho. Escolher. Ângela escolheu ‘sim’. Ela é tão livre que um dia será presa. ‘Presa por quê?’ ‘Por excesso de liberdade.’ ‘Mas essa liberdade é inocente?’ ‘É. Até mesmo ingênua.’ ‘Então por que a prisão?’ ‘Porque a liberdade ofende.'”

Trecho do romance Um Sopro de Vida: (Pulsações), de Clarice Lispector

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Bad trip

Charge de Benett
(clique na imagem para ampliá-la)
Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz