Que falta faz um adeus…

“Pode ser que você tenha ido embora sem nem ao menos se despedir, por medo da solidão que sempre sobrevém aos desenlaces. Assim, sem um final que a legitime, sua ida não acontece, fica sem tradução, e nossa história resta pairando no espaço indefinidamente. Só então tiro seu retrato do quarto e ponho na sala, à vista de qualquer um. ‘Mas pra onde ele foi?’, me perguntam. ‘Não sei se foi… Talvez volte’, é tudo o que digo. Mas não volta, porque nunca aqui esteve. Fez igual beija-flor que nunca pousa.”

Nem Par, Nem Ímpar, miniconto de Elisa Nazarian
Compartilhar

Deixe um comentário

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz