Os opostos se atraem?

“- Ei, Silêncio!
-…
– Você está muito quieto. O que aconteceu?
-…
– Eu fiz alguma coisa? Eu falei demais?
-…
– Não fique assim. Eu não fiz por mal.
-…
– É da minha natureza falar pelos cotovelos. E olha que nem cotovelos eu tenho.
-…
– Você gostou dessa, né? Eu vi um sorriso meio tímido no seu rosto.
-…
– Fala aí. Se abre comigo. Deixa eu ser seu amigo. Eu falo porque não sei desenhar. Se eu soubesse, eu economizaria pelo menos umas mil palavras por desenho. Hahaha!
-…
– Para de ser esnobe. Se você não falar, vou imitar um trovão, uma britadeira, uma sirene, uma motosserra…
– Mas você é chato mesmo, hein? Pare de fazer barulho no meu ouvido. Me deixa em paz, por favor!”

O Barulho e o Silêncio, redação de Arthur Piratello, que tem 10 anos
Compartilhar

Deixe um comentário

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz