terça-feira, 27 de janeiro de 2015

O incrível caso da seca molhada

“Com a água acontece uma coisa curiosa: como cai do céu, é difícil acreditar que vá faltar. Acaba a água da torneira, mas está tudo alagado lá fora. Isso, imagino, gera uma confusão na cabeça de muita gente. Mas ao mesmo tempo gera um aumento de consciência. Essa água que está alagando as ruas, será que não poderia ser usada? Será que é própria para o consumo? Há controvérsias. Existem pessoas filtrando e fazendo testes, dizendo que é melhor do que a água da Sabesp. Cada vez mais, acredito que, quanto mais a gente tornar as pessoas autônomas em relação a garantir o seu básico, mais a gente caminhará para um mundo sustentável. Ensinar a garantir o mínimo da sua água, o mínimo da sua comida pode ser um caminho. Tudo o que estamos vivendo e o que ainda viveremos é muito didático e deve induzir mudanças de atitude. Como continuar julgando normal  dar descarga na privada com água potável?

Da ambientalista Marussia Whately

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

O sentido da vida

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Tudo anda muito difícil?

Morre que passa.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

É o que chamam de jornalismo opinativo?

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Dá para sentir saudades do que não conhecemos?

“Sei que nós, os que vamos à praia - a Villa Gesell ou a Cabo Polonio, a Punta del Este ou a Mar del Plata, a Florianópolis ou a Mar del Sur, a Cozumel ou a Goa -, vamos sempre mais ou menos atrás da mesma coisa: das marcas do que o mundo era antes que a mão do homem decidisse reescrevê-lo.”

Trecho de A Vida Descalço, ensaio autobiográfico de Alan Pauls

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Por que ninguém me obedece assim?

Imagem de Amostra do You Tube

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

No fim das contas, todos os abrigos são inúteis?

“Não há guarda-chuva
contra o amor
que mastiga e cospe como qualquer boca,
que tritura como um desastre.

Não há guarda-chuva
contra o tédio:
o tédio das quatro paredes, das quatro
estações, dos quatro pontos cardeais.

Não há guarda-chuva
contra o mundo
cada dia devorado nos jornais
sob as espécies de papel e tinta.

Não há guarda-chuva
contra o tempo
rio fluindo sob a casa, correnteza
carregando os dias, os cabelos.”

Trecho de A Carlos Drummond de Andrade, poema de João Cabral de Melo Neto

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

O desencanto é uma bênção?

“Cada vez que temos uma desilusão, estamos mais perto da verdade.”

Do Professor Hermógenes, precursor da hatha ioga no Brasil

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

O que a escrita pode ensinar àqueles que escrevem?

“1. Quem quiser escrever precisa escrever.
2. Cortar é tão importante quanto acrescentar.
3. Escrever é reescrever.
4. Para escrever é preciso ler muito e de tudo.
5. É fundamental publicar e saber ouvir críticas negativas.
6. Não reclamar, se fazer de vítima, se sentir injustiçado.
7. Saber esperar.”

De Noemi Jaffe, escritora, professora de literatura e crítica literária 

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

E se o Aurélio fosse feminista?

Clique na imagem para ampliá-la
Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz

versão mobile