Um bicho. Mas de estimação?

Aspirador

tamanduá do lar
que aspira
os meus dias
convertidos em pó

dias enfileirados
um a um tombados
pedras de dominó”

Poema de Sérgio de Castro Pinto
Compartilhar

Deixe um comentário

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz