Ter sido

“- Mãe…
– O que foi, filho?
– Por que as pessoas morrem?
– Bom, morrem de ataques do coração, velhice, doenças…
– Quero dizer, o que é a morte?
– A morte? O coração para de bombear o sangue… O sangue não chega ao cérebro… Tudo para… E é isso.
– É assim? Você morre e desaparece do mundo?
– Não, não é bem assim, tudo o que você fizer vai ficar, seja de bom ou de ruim, fica, a lembrança de tudo o que fez, de você como pessoa, vai ficar, você vai viver na lembrança das pessoas, de certa forma…
– As pessoas vão, ficam as lembranças? É isso? Mas é tão pouco…”

Trecho do conto Apontamentos sobre o Olhar, de Carlos Henrique Schroeder
Compartilhar

Deixe um comentário

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz