Se ontem envelheci, por que hoje acordei criança?

“Tenho qualquer idade em qualquer tempo
velho agora e menino logo adiante;
aqui jovem e depois homem maduro;
às vezes nem nascido, às vezes morto.

A idade em mim rebenta impetuosa
não do tempo existido, mas das coisas
que me criam e também que são criadas
pelo que sou e sinto em face delas.

Menino e velho sou não sucessivo
mas simultâneo a cada sentimento
_múltipla idade de uma alma múltipla

às vezes já estou morto há muitos anos
muito depois e frio; mas às vezes
sinto que vou nascer, sinto-me antes.”

Poema sem título de Daniel Lima
Compartilhar

Deixe um comentário

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz