Relicário de objetos impalpáveis

E se houvesse
um museu
de momentos

um inventário
de instantes

um arquivo
de agoras

um catálogo
de acasos?

Será que guardariam por exemplo
o dia em que te vi atravessar a rua
com teu vestido mais veloz?

A partir de Museu, poema de Ana Martins Marques
Compartilhar

Deixe um comentário

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz