Ao contrário do amor, a amizade nunca se sacia?

“Assim que o amor entra no território da amizade, ou seja, da conveniência das vontades, ele desanima e enfraquece, (…) já que seu fim é corporal. O amor está sujeito à saciedade. A amizade, no entanto, é aproveitada à medida que é desejada. Ela pode avançar, alimentar-se e crescer apenas por meio desse cultivo porque é espiritual, e a alma só se purifica através de sua prática.”

Trecho de Sobre a Amizade, ensaio do filósofo francês Michel de Montaigne
Compartilhar

Deixe um comentário

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz