Por onde caminham meus pensamentos enquanto caminho?

“Oh! não há nada como um pé depois do outro…”

Passeio, poema de Mario Quintana
Compartilhar

1 Comentário para “Por onde caminham meus pensamentos enquanto caminho?”

  1. pedro Paiva disse:

    O cemitério é tão calmo, discreto e vazio. Miguel e seus querubins de mármore não vão me censurar. A navalha já esta desembalada e meu pulso exposto.

    Queria ser forte e enfrentar a vida, aqueles que tenho amor, me culparam, me traíram, me machucaram.

    Oceano! Queria apenas brincar em suas águas, mas me faltou chão e aquele que me amava, veio e me salvou e você o levou em meu lugar.

    Acreditava na amizade e no amor, mas a porta se abriu e os vi deitados e nus.

    Precisava de amparo, ajuda, a pessoa que poderia me dar, virou as costas e me culpou.

    Em uma das lapides está escrito:

    De manhan a fresca rosa
    He o esmalte do jardim
    De tarde secca e morre
    No mundo tudo é assim

    À tarde nem chegou e desejo partir
    Desculpa papai

    contospoesiacia.blogspot.com.br/

    [WORDPRESS HASHCASH] The poster sent us ‘0 which is not a hashcash value.

Deixe um comentário

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz