É possível desaparecer para aparecer?

“Nas raras vezes em que se apresenta num palco, João Gilberto quer se fazer incorpóreo. O terno marrom da Brooks Brothers, a camisa azul-celeste da YSL, a gravata e os sapatos italianos têm a função de torná-lo invisível. Só o violão e a voz devem existir. (…) O mundo não existe. Existe apenas a música. E mesmo esta é para ser cantada cada vez mais baixinho, num sopro, num sussurro, quase que só em pensamento _única forma, para João, de vencer a cacofonia que o mundo insiste em produzir.”

Trecho do artigo João Gilberto 80, o mito e sua revolução discreta, de Ruy Castro
Compartilhar

Deixe um comentário

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz