Arquivo de janeiro de 2015

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Por causa das redes sociais, viramos todos ladrões?

“Um dos atos mais cruéis que existem, podem observar, é roubar o tempo, a atenção, a energia das pessoas e levá-las a desperdiçar parte da vida com frivolidades. É um roubo como qualquer outro.”

De Gustavo Gitti, professor de TaKeTiNa, técnica que usa o ritmo para transformar a mente e o corpo 
Compartilhar

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Há sensação mais sublime do que perder o medo?

Imagem de Amostra do You Tube

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

O avesso do avesso do avesso

“A essência de São Paulo não é sintética, é uma oposição, um paradoxo. É interessante pensar que a Catedral da Sé, um edifício neogótico, foi inaugurada no 4º Centenário da cidade, em 1954, com os edifícios modernos de Niemeyer no parque Ibirapuera. Como pode uma cidade produzir símbolos tão discrepantes ao mesmo tempo? Como pode uma cidade desprezar tanto o seu passado a ponto de decidir demolir a sua igreja matriz para construir um revival medieval?”

Do arquiteto Guilherme Wisnick

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

E se o casamento não der certo?

Cansada de esperar amor, americana se casa consigo mesma

“Foi a união dos sonhos de Yasmin Eleby. Só faltou o noivo. A cerimônia ocorreu no Museu de Cultura Afroamericana de Houston (Texas, EUA). Uma irmã de Yasmin conduziu uma espécie de cerimônia religiosa. A mãe levou a filha ao altar e as outras três irmãs foram as madrinhas. Segundo o site  Black Art in America, a lua de mel será passada no Camboja, no Laos e em Dubai (Emirados Árabes).”

Notícia publicada ontem no portal de O Globo

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

O próximo passo, depois do racionamento de água, é o racionamento de palavras?

Cartum de Nani

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Ele nos ajuda mesmo a encontrar qualquer coisa?

São Longuinho, São Longuinho, se eu me achar, dou três pulinhos.

 A partir de uma ilustração de Luiza Pannunzio

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Só os jovens conseguem ser utópicos?

“Em qualquer luta revolucionária, a juventude assume o protagonismo. Mas há gente de várias idades que continua sonhando. Depois de passar a vida ouvindo que quando ficasse velho iria se enquadrar e ver que as coisas são diferentes, o poeta surrealista francês Benjamim Péret disse: ‘Fiquei velho e não vi nada’.”

Do cientista social Michael Lowy

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

O incrível caso da seca molhada

“Com a água acontece uma coisa curiosa: como cai do céu, é difícil acreditar que vá faltar. Acaba a água da torneira, mas está tudo alagado lá fora. Isso, imagino, gera uma confusão na cabeça de muita gente. Mas ao mesmo tempo gera um aumento de consciência. Essa água que está alagando as ruas, será que não poderia ser usada? Será que é própria para o consumo? Há controvérsias. Existem pessoas filtrando e fazendo testes, dizendo que é melhor do que a água da Sabesp. Cada vez mais, acredito que, quanto mais a gente tornar as pessoas autônomas em relação a garantir o seu básico, mais a gente caminhará para um mundo sustentável. Ensinar a garantir o mínimo da sua água, o mínimo da sua comida pode ser um caminho. Tudo o que estamos vivendo e o que ainda viveremos é muito didático e deve induzir mudanças de atitude. Como continuar julgando normal  dar descarga na privada com água potável?

Da ambientalista Marussia Whately

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

O sentido da vida

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Tudo anda muito difícil?

Morre que passa.

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz