Arquivo de setembro de 2012

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

No amor, o dito vale menos que o não dito?

“Os juramentos que nos juramos
entrelaçados naquela cama
seriam traídos, se lembrados
hoje. Eram palavras aladas
e faladas não para ficar
mas, encantadas, voar. Faziam
parte das carícias que por lá
sopramos: brisas afrodisíacas
ao pé do ouvido, jamais contratos.
Esqueçamo-las, pois, dentre os atos
da língua, houve outros mais convincentes
e ardentes sobre os lençóis. Que esses,
em futuras noites, em vislumbres
de lembranças, sempre nos deslumbrem.”

Palavras Aladas, poema de Antonio Cicero
Compartilhar

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Pós-modernismo

nada mais
será como
dante?

A partir de Paradiso, poema de Leo Gonçalves 

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Certos profissionais nunca deveriam fazer bicos?

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Tudo ainda em nome do Pai

“Nossas culturas e filosofias, que se queriam livres de qualquer influência religiosa, continuam a sofrer a pressão de uma doutrina que foi dominante durante milênios. Hoje, não dizemos mais ‘as leis da Providência’. No entanto, dizemos ‘as leis da história’ ou ‘as leis do mercado’. Não é quase a mesma coisa?”

Do linguista Tzvetan Todorov  

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Detalhes tão pequenos de nós dois

Quadrinho de Alexandra Moraes

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

A menor autobiografia do mundo?

“Viver tem sido
Reunir objetos
E perder ilusões”

Poema sem título de Eduardo Ruiz

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Parece que já vieram, não?

“Dentro do Senado
por que tanta inação?
Se deixaram de
legislar, que fazem
lá dentro os
senadores?

É que os bárbaros
chegam hoje. Que leis
haviam de fazer agora
os senadores?

Os bárbaros quando
vierem ditarão as leis.”

Trecho de À Espera dos Bárbaros, poema de Konstantinos Kaváfis

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Quem me protegerá de minha vaidade?

Quadrinho de Laerte

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Por que Deus não tem o seu nome?

Imagem de Amostra do You Tube
Seu Nome, poema de Fabrício Corsaletti
Recitado pelo próprio autor
Dica de Gianni Paula de Melo

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Para bom entendedor

Charge de Angeli
Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz