Arquivo de maio de 2012

quarta-feira, 30 de maio de 2012

No fundo, só existem dois tipos de gente: os que encaram a vida como um eterno projeto e os que a veem como um processo?

“Ambos tinham quinze anos quando começaram a sair, mas quando Emilia completou dezesseis, e dezessete, o lerdo continuou tendo quinze. E assim por diante: Emilia completou dezoito, e dezenove, e vinte e quatro, e ele quinze; vinte e sete, vinte e oito, e ele quinze, até os trinta anos dela, pois Emilia não continuou fazendo anos depois dos trinta, e não porque a partir de então tivesse decidido ir diminuindo a idade, mas porque poucos dias depois de completar trinta anos Emilia morreu, e então não fez mais aniversário porque começou a estar morta.”

Trecho de Bonsai, romance de Alejandro Zambra
Dica de Rodolfo Viana
Compartilhar

terça-feira, 29 de maio de 2012

Você é o predileto de alguém?

Imagem de Amostra do You Tube
Are You the Favorite Person of Anybody?, vídeo dirigido por Miguel Arteta,
com roteiro de Miranda July
Dica de Nina Rahe

terça-feira, 29 de maio de 2012

Quem precisa de hóstia?

terça-feira, 29 de maio de 2012

Com quantas ficções se constroi uma verdade?

“Juan José Saer, o grande escritor argentino, observou certa vez que a ilusão da não-ficção se tornou, em nossos tempos, o gênero da moda. O rechaço da ficção seria, nesse caso, uma garantia de verdade. Vivemos no século da ciência e da tecnologia – logo, no século da verdade. Mas será? Como desprezar a ficção se somos sujeitos de sonho e de fantasia? Se estamos, desde a mais remota infância, aprisionados às lendas íntimas da imaginação? Se, apesar de nossos esforços sinceros, continuamos prisioneiros de nossa subjetividade – que é sempre limitada, nublada e parcial? ‘A superioridade da verdade sobre a ficção é apenas uma fantasia moral’, escreveu Saer. A ficção não descarta a verdade objetiva, apenas enfatiza sua turbulência e complexidade. A ficção não mata a verdade, em vez disso, a expande.”

Trecho de A ficção que sente vergonha, artigo de José Castello 

terça-feira, 29 de maio de 2012

Por isso Ele nunca se deixa fotografar?

Clique na imagem se quiser ampliá-la

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Sobre a arte de medir o quase

“Quanto é um triz?”

Título de uma crônica de José Roberto Torero

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Além da imaginação

“Quem,
entre os jovens,
acreditará
que fomos jovens também?”

Versos de Helena Kolody

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Simbiose

“Deus, que será de ti quando eu morrer?
Eu sou teu cântaro (e se me romper?)
A tua água (e se me corromper?)
Sou teu agasalho, sou teu afazer.
Vai comigo o significado teu.

Não tens mais sem mim aquela casa, Deus,
que com quentes palavras te acolhia.
Perdem teus pés exaustos as macias
sandálias: também elas eram eu.

(…)

Deus, que será de ti? Tenho medo, tanto… ”

Trecho de um poema de Rainer Maria Rilke, traduzido por José Paulo Paes
Dica de Gianni Paula de Melo

sábado, 26 de maio de 2012

Bandeira

Quadrinho de Laerte
(clique na imagem para ampliá-la)

sábado, 26 de maio de 2012

Hércules ao cubo

Existe façanha maior do que conseguir empregar a palavra “ontologia” numa conversa banal?

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz