Arquivo de setembro de 2011

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Que horas sou?

“Um relógio poderia marcar sentimentos em vez de horas e a gente poderia sentir ponteiros em vez de angústias, mas inventaram que o coração sentia e o relógio mandava e a gente inventou de acreditar. Daí pra frente foram inventando mais e a gente, que já tinha hora e pensamento, foi colocando cada coisa onde cabia. Agora que cada relógio está no seu lugar, fica difícil dizer que eu te meio-dia e que o relógio ama uma vez a cada 60 segundos. Hoje, quando o relógio odiava, eu marcava exatamente quinze-pras-seis num desses fusos horários que em nenhum lugar do mundo marca igual.”

Miniconto sem título de  Ivan Morales Jr.
Compartilhar

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Quer atingir o Nirvana? Não basta querer…

Quadrinho de Liniers
(clique na imagem para ampliá-la)

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Talvez um MBA no Texas…

Por que os sertanejos universitários não se formam logo e vão fazer uma pós fora do país?

Piadinha que corre pela internet

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Geometria sentimental

O silêncio é a maior distância entre dois pontos que se casaram?

A partir de um aforismo de Leo Cunha

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Certas coisas, quando mudam, permanecem exatamente no mesmo lugar?

Cartum de El Roto
(clique na imagem para ampliá-la)

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Quem falou que entendo de mulher?

“súbito assalta-me a dúvida
(bem na fila do Sedex)
darling, qual a relação
entre o rímel e o curvex?”

Da série Quadras Paulistanas, de Fabrício Corsaletti

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Letal

 Hannah Montana é uma arma americana de distração em massa?

 

A partir de uma charge de Jul

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Intercâmbio

O pensamento sente? O sentimento pensa?

A partir de uma conversa com Gianni Paula de Melo

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Progredir é regredir?

“Dizem que precisamos crescer para acabar com a pobreza. No entanto, tivemos 250 anos de crescimento industrial e a pobreza continua conosco. Quanto mais crescimento será necessário? Fico muito desanimada ao ver o debate político tratar apenas de crescimento, crescimento, crescimento. Crescimento de que, para quem, por quanto tempo – e por que isso é tão bom? Simplesmente não permitem, nos meios de comunicação dos Estados Unidos, que você conteste os dogmas do industrialismo. O acúmulo de bens materiais não é o objetivo da existência humana. Nem todo crescimento é vantajoso. O meio ambiente é uma necessidade e não um luxo. Existe uma coisa chamada ‘suficiente’.”

Da cientista norte-americana Donella Meadows 

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O velho e a moça

Ela não tinha a idade adequada, mas poderia ter a alma adequada?

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz