Arquivo de abril de 2011

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Você é o Pelé?

Imagem de Amostra do You Tube
Participação constrangedora de Edson Arantes do Nascimento em Os Trombadinhas, filme policial de 1979, dirigido por Anselmo Duarte, com roteiro de Carlos Heitor Cony e do próprio Pelé
Compartilhar

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Tem ideia de quanto custa fazer um pãozinho?

“O cara que falsifica a carteirinha de estudante é o mesmo cara que baixa o disco de graça, que acha um absurdo a Lei Rouanet, que olha pra mim e fala: pô, mas você não tem apartamento próprio? Que roupa é essa? Além de tudo me cobra uma compostura, uma liturgia do cargo. Dá vontade de falar: que cargo, malandro? Eu estou aqui que nem um padeiro, filho da puta, lutando pra coisa fermentar e virar essa parada que estou te mostrando, tu não quer pagar pela parada e ainda tem uma visão czariana, do tipo gosto, não gosto.”

Do cantor e compositor Marcelo Camelo numa entrevista ao repórter Lucas Nobile

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Por séculos e séculos, nos ensinaram que não devíamos morder a maçã. Adiantou?

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Copacabum!

“E o Rio com os bueiros explodindo? Bueiros Aires!”

Trecho do artigo Corinthians contrata Smirnoff!, do humorista José Simão

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Pra que andar na última moda?

“Gosto quando você
Se parece com você.”

Trecho da canção Se Parece com Você, de arrudA e Alzira E

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Redenção tardia

É preciso morrer para ver Deus?

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Homo rex

– Você tem algum animal de estimação?
– Tirando o meu corpo, nenhum.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Um pote até aqui de mágoa

Dizem que o deputado Jair Bolsonaro anda se queixando entre amigos: “Por que ninguém se opõe à discriminação contra os homofóbicos?!”

A partir de um comentário do humorista Tutty Vasques

terça-feira, 5 de abril de 2011

Todo desejo, ainda que de maneira imprevista, sempre se realiza?

“Um pequenino grão de areia
Que era um pobre sonhador
Olhando o céu viu uma estrela
E imaginou coisas de amor

Passaram anos, muitos anos
Ela no céu e ele no mar
Dizem que nunca o pobrezinho
Pode com ela encontrar

Se houve ou se não houve
Alguma coisa entre eles dois
Ninguém soube até hoje explicar
O que há de verdade
É que depois, muito depois
Apareceu uma estrela no mar”

Letra de Estrela do Mar, música de Paulo Soledade e Marino Pinto
Interpretada por Dalva de Oliveira em 1952
Imagem de Amostra do You Tube

terça-feira, 5 de abril de 2011

Primaveraste?

“Vejo as flores do terreiro
Fugindo pro teu vestido.”

Trecho da canção Sempre Viva (Amor Perfeito), de Luis Perequê
Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz