Arquivo de fevereiro de 2011

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Tem razão. Mas onde vende?

 

Cartum da argentina Julieta Arroquy
Dica de Gianni Paula de Melo
Compartilhar

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Nudez

“– Ri-se da minha celulite?
– Perdão?!
– A celulite! Sou uma mulher comum. Também eu sofro de celulite.
– Não, não. Não vi celulite nenhuma, só vi as pernas.
– Ainda bem. É a diferença entre um otimista e um pessimista. O pessimista só teria reparado na celulite. Estou um horror, envelheço. Também tenho celulite na barriga. Estrias e celulite.
– Vejo apenas o umbigo, querida. Um umbigo maravilhoso. Eu respeito muito os umbigos. Na tradição africana, enterra-se o cordão umbilical, logo após o nascimento de uma criança, como forma de assegurar que a mesma permanecerá ligada ao chão dos seus antepassados. Olho para um umbigo, para um umbigo perfeito como o teu, e vejo o princípio do mundo.”

Trecho do romance Milagrário Pessoal, do angolano José Eduardo Agualusa

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

O que esse sujeito está pensando? Que minha casa é o Maranhão?

“31 de dezembro de 2010
13h – Fiquei estressada com os últimos preparativos para a ceia de Réveillon. O Palocci não larga do meu pé: ‘Responsabilidade fiscal isso’, ‘Equilibrar orçamento aquilo’, ‘Blá-blá-blá’. Uma chatice. Pedi para ele comprar umas lentilhas, que é para não me aborrecer. Michel Temer queria reservar cinco vagas na janela para o PMDB ver os fogos. Teremos que negociar. Sarney vai trazer a família e pediu para estacionar dentro do prédio. Vou pedir para o Lula falar com ele.” 

Trecho do Diário da Dilma, sátira publicada na revista Piauí de fevereiro

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Como sei que acabou?

Já não te espero nem me desespero.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Não há mesmo nenhuma chance de diálogo entre os valores do Islã e os do Ocidente?

Supermuçulmano, trabalho de Sener Ozmen, artista curdo que nasceu na Turquia

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

A saudade mata a gente

“Que mal pode ser mor que, no meu mal,
Ter lembranças do bem que é já passado?”

Trecho de um soneto de Camões
O título do post remete à canção A Saudade Mata a Gente, de Braguinha e Antônio Almeida
Imagem de Amostra do You Tube

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Let’s forget the night together

“Em 1978, quando lhe indagaram por que os Stones haviam chamado seu último disco de Some Girls, Keith Richards respondeu: ‘Porque não nos lembrávamos do nome de nenhuma delas’.”

Trecho da reportagem Curtindo adoidado, de David Remnick

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Let's forget the night together

“Em 1978, quando lhe indagaram por que os Stones haviam chamado seu último disco de Some Girls, Keith Richards respondeu: ‘Porque não nos lembrávamos do nome de nenhuma delas’.”

Trecho da reportagem Curtindo adoidado, de David Remnick

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Sondagem

Concordo: não é possível enganar todo o povo o tempo todo. E 93% do povo, 87% do tempo?

A partir de uma piada do cronista Ivan Lessa 

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Cada qual com seu animal?

Uns acordam com a macaca. Eu, nem bem acordo, já dou de cara com a preguiça.

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz