Arquivo de novembro de 2010

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Morrer de velhice é mesmo mais natural do que morrer numa queda?

“Não posso aceitar o modo como estabelecemos a duração de nossa vida. Vejo que os sábios a encurtam muito em relação à opinião comum. ‘Como’, dizia o jovem Catão aos que queriam impedi-lo de se matar, ‘estarei ainda na idade em que possam me repreender por abandonar a vida cedo demais?’ No entanto, tinha apenas 48 anos. Estimava essa idade bem madura e bem avançada, considerando que poucos homens a atingem. E os que se iludem com não sei qual ‘curso’, a que chamam de ‘natural’, que prometem alguns anos mais, bem poderiam fazê-lo se tivessem o privilégio de ser isentados de um número tão grande de infortúnios de que cada um de nós é alvo por natural sujeição e que podem interromper esse curso que prometem a si mesmos. Que loucura é esperar morrer de um enfraquecimento de forças trazido pela velhice extrema e propor-se esse objetivo como termo de nossa vida, visto que é o tipo de morte mais rara de todas e a menos usual! Nós a chamamos de única natural, como se fosse antinatural ver um homem quebrar o pescoço numa queda, afogar-se num naufrágio, deixar-se surpreender pela peste ou por uma pleurisia, como se nossa reles condição não apresentasse esses inconvenientes a todos. Não nos iludamos com essas belas palavras; devemos talvez chamar de natural o que é genérico, comum e universal. Morrer de velhice é uma morte rara, singular e extraordinária, e portanto menos natural que as outras; é a última e extrema maneira de morrer.”

Trecho de Sobre a Idade, ensaio de Montaigne (1533-1592)    
Compartilhar

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Reincidente

– Parei de jogar.
 – Não acredito.
– Quer apostar?

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Tiririca deve ou não cumprir o mandato de deputado?

“Eu acho que o Tiririca tem que ficar. O pior que tá FICA!”

Do humorista José Simão

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Confins

– Por que você demorou tanto a chegar?, perguntou quando a conheceu.
– Porque o amor é muito longe.

A partir da Balada de Gisberta, do cantor e compositor português Pedro Abrunhosa
Saiba mais sobre a música no blog 365 Canções. Dica de Rodolfo Moraes
Imagem de Amostra do You Tube

terça-feira, 16 de novembro de 2010

O que de fato rolava no PanAmericano?

“Silvio Santos maquiava o balanço do banco com produtos Jequiti.”

Do humorista José Simão

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Breu

“A noite pousou na rua
longos e escuros dedos.
Tudo se fecha e oculta
por mais que os olhos suponham.
Será que as árvores dormem?
As pedras, será que sonham?”

Trecho de um poema sem título de Karen Éler

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Feriado em mim

Hoje acordei sem perguntas. Devo me preocupar?

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Ele não só aprendeu a ler como sabe interpretar texto

Charge de Benett
(clique na imagem para ampliá-la)

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Sonhei alto demais?

“O sol
que cega
a manhã
desperta
a derrota
do meu voo”

Ícaro, poema de Fernando Moreira Salles

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Gato por lebre

Encontrar-se à beira da morte é estar desenganado. Viver, então, é estar enganado?

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz