Arquivo de setembro de 2010

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sarkozy e Berlusconi: farinhas do mesmo saco?

Em dois livros recentes, o filósofo francês Pierre Musso “traça um paralelo entre os percursos do presidente da França, Nicolas Sarcozy, e do presidente do Conselho da Itália, Silvio Berlusconi, com o objetivo de explicar a nova práxis política da Europa, que chama de ‘neopolítica’. Nela, o  populismo se mescla com o neoliberalismo e com o uso intensivo das técnicas de marketing. O resultado é um cenário marcado pela divisão, no qual o candidato ou o governante se apoia apenas em um segmento da sociedade que o sustenta, sendo recusado pelo outro.
Para chegar ao poder ou se manter nele, o sarkoberlusconismo lança mão de duas ferramentas: a fascinação e o medo. No primeiro caso, ele tenta cativar a opinião pública mesclando vidas públicas e privadas, transformando o exercício do poder em uma espécie de telenovela. No segundo, explora o terror. Daí surgem o medo do estrangeiro (a xenofobia), do muçulmano (a islamofobia), da globalização (o protecionismo), entre outros. ‘Essa forma de governo paralisa a opinião pública’, diz Musso.”

Trecho de Um avatar chamado Sarkoberlusconi, artigo do jornalista Andrei Netto
Compartilhar

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Quem chora pluvialmente se torna um pouco fluvial?

“Gente é mais ou menos como rio:
Tem os que gostam de perigo e se lançam de grandes alturas
Tem os de muitos braços que atiram pra todos os lados
Tem os de muitos redemoinhos que comem bois e gente
Tem os que gostam demais de si e viram lago
Tem os que só sabem correr parados
São os empoçados os pantaneiros os alagados
Tem os que transam com a terra formando ilhas
O fundo de alguns é de pedra. Tem os de peixes coloridos
Outros têm água clarinha. E tem gente córrego seco
E tem gente riacho escuro. Alguns a terra engole vivos
E tem até rio que corre pra trás
O rio que eu sou nasceu em janeiro”

Poema sem título de Viviane Mosé

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Nada a enaltece mais do que o meu desprezo?

Imagem de Amostra do You Tube
Carta de Amor Enviada num Canhão, vídeo de Gabriel Pardal
Dica de Dani Arrais

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Emprego sazonal

Cartum de Rafael Corrêa
(clique na imagem para ampliá-la)

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Na média

Se Deus é mais, então o demônio é menos e o homem é mais ou menos?

A partir da canção Os Dados Estão Lançados, da banda Cérebro Eletrônico

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Carrão pra quê?

Cartum de Allan Sieber
(clique na imagem para ampliá-la)

sábado, 25 de setembro de 2010

Você já se sentiu como este cavalo?

Às vezes, as correntes que nos aprisionam são mais
mentais do que físicas

Dica de Roberval Lima
(clique na imagem para ampliá-la)

sábado, 25 de setembro de 2010

Despeito

Os homens perdoam tudo nas mulheres bonitas, menos a ausência delas na vida deles?

A partir do romance A História de um Casamento, de Andrew Sean Greer

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Desmedida

O que nos torna mais infelizes: desejar muito ou desejar pouco?

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Ladainha de um homem ridículo

“Eu vou ficar na saída da escola
Na saída da casa
Eu vou ficar por aí
Vou ficar na saída da escola
Na saída da casa
Eu vou ficar te esperando
Fumando mil cigarros
Bebendo Coca-Cola
Esperando você sair
Esperando você chegar
Fumando mil cigarros
Na saída da escola
Na saída da casa
Bebendo Coca-Cola
Eu vou ficar por aí
Por aí e você não vem, não chega
Bebendo Coca-Cola
Você não diz oi
Você não diz tchau
Fumando mil cigarros
Bebendo Coca-Cola
Por aí, por aí…

Por que você não passa por aqui
Pra gente fumar mil cigarros
Pra gente beber Coca-Cola
Pra gente papear um pouco
Pra gente ficar por aí?”

Por Aí, canção de Bárbara Eugênia
Interpretada pela própria Bárbara

Imagem de Amostra do You Tube
Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz