Arquivo de maio de 2010

sexta-feira, 21 de maio de 2010

São Paulo não pode parar?

“Se eu fosse Deus e se eu existisse, executaria em São Paulo uma prosaica providência administrativa. Tombaria a cidade inteira pelos próximos dez anos: como está, fica. Não se derruba mais nada, não se constrói mais nada. Tratem de melhorar a cidade que já existe: monstruosa, desigual, mal planejada e mal cuidada. Se é para movimentar dinheiro, invistam-se nos espaços públicos: ruas, praças, jardins, calçadas, iluminação, centros de lazer, prevenção contra enchentes_tudo o que faz, de um amontoado de moradias, algo parecido com a magnífica invenção humana chamada cidade.”

Trecho do artigo Delicadeza, de Maria Rita Kehl
Compartilhar

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Vazio

“Agora, que faço eu da vida sem você?
Você não me ensinou a te esquecer
Você só me ensinou a te querer
e te querendo eu vou tentando me encontrar”

Trecho da canção Você Não me Ensinou a te Esquecer, de Fernando Mendes, José Wilson e Lucas
Interpretada por Caetano Veloso
Imagem de Amostra do You Tube

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Antissociais


Quadrinho de Benett

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Morto vivo

– O Zuenir teve a experiência que todo mundo gostaria de ter: a de estar presente no próprio velório.
– Pois é. Um belo dia o site de um jornal noticiou que eu tinha morrido num desastre. Como me encontrava num lugar inacessível, a notícia não pôde ser desmentida. Durante umas três horas, meu filho procurou o “corpo” em hospitais da cidade.
– Você quase viu quem foi ao velório, né?
– (Risos) Eu deveria é ter esperado um pouco mais para ver o que iam escrever de mim nos obituários.

Trecho de um bate-papo entre os escritores Zuenir Ventura e Luis Fernando Verissimo, mediado pelo jornalista Arthur Dapieve. Extraído do livro Conversa sobre o Tempo

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Saara

“Vai passar camelo?”

Da garotinha Margarete quando lhe mandaram entrar em casa porque a rua estava um deserto. Citada por Pedro Bloch no livro Poxa, Que Meninos!

terça-feira, 18 de maio de 2010

Já desenxergou um pouco hoje?

“Tanta coisa existe
que nunca foi vista:
jamais vai saber
quem delas desista.
Coisas que o jeito
melhor de achar
é fechando os olhos
em vez de espiar.”

Trecho de Jogo de Adivinhar Bicho Invisível, livro infantil de Bernardo de Mendonça
Dica de Julia Medeiros 

terça-feira, 18 de maio de 2010

Memória fraca

“Onde andarás nesta tarde vazia
Tão clara e sem fim?
Enquanto o mar bate azul em Ipanema
Em que bar, em que cinema te esqueces de mim?”

Trecho da canção Onde Andarás, de Caetano Veloso e Ferreira Gullar
Interpretação de Caetano Veloso
Imagem de Amostra do You Tube

terça-feira, 18 de maio de 2010

Não há nada mais saudável que inexistir?

“Ter nascido me estragou a saúde.”

De Clarice Lispector

segunda-feira, 17 de maio de 2010

O que realmente me atormenta?

“Esse amanhecer
mais noite que a noite.”

Trecho de Sentimento do Mundo, poema de Carlos Drummond de Andrade

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Será verdade?

“Quando garoto, o matemático Bertrand Russell sonhou que, entre os papeis deixados sobre a mesinha de seu quarto de colégio, encontrava um em que se lia: ‘O que diz do outro lado não é verdade’. Virou o papel e leu: ‘O que diz do outro lado não é verdade’. Apenas acordou, procurou o papel na mesinha. O papel não estava ali.”

Trecho do Livro dos Sonhos, de Jorge Luis Borges
Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz