Arquivo de maio de 2010

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Não preciso temer mais nada?

“Sou o Super-Homem. A seu disposto.”

De Antônio, meu afilhado de 3 anos
Compartilhar

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Há que se ajustar todo desajuste?

“Adultos conscientes de seu autismo e seus pais ficam frequentemente irritados com esse distúrbio. Podem se perguntar por que a natureza ou Deus criou condições tão horríveis quanto o autismo, a psicose maníaco-depressiva e a esquizofrenia. No entanto, se os genes que causaram essas condições fossem eliminados, o preço a pagar poderia ser terrivelmente alto. É possível que pessoas com um pouco desses traços sejam mais criativas, ou mesmo gênios (…). Se a ciência eliminasse esses genes, talvez todo o mundo fosse tomado por contadores.”

Trecho do livro Emergence: Labeled Autistic, autobiografia de Temple Grandin, cientista norte-americana que sofre de autismo e, ainda assim, se tornou uma expert em comportamento animal

segunda-feira, 31 de maio de 2010

A ordem das árvores não altera o passarinho?

“Naquele curió mora um pessegueiro
Em todo rouxinol tem sempre um jasmineiro
Todo bem-te-vi carrega uma paineira
Tem sempre um colibri que gosta de jatobá
Beija-flor é casa de ipê
Cada andorinha é lotada de pinheiro
E o joão-de-barro acolhe o eucalipto

Naquele pessegueiro mora um curió
Em todo jasmineiro tem sempre um rouxinol
Toda paineira carrega um bem-te-vi
Tem sempre um jatobá que gosta de colibri
Beija-flor é casa de ipê
Cada pinheiro é lotado de andorinha
E o joão-de-barro acolhe o  eucalipto”

Trecho da canção A Ordem das Árvores, de Tulipa Ruiz
Interpretada por Tulipa Ruiz
Imagem de Amostra do You Tube

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Sem fronteiras

“¿Dónde termina tu cuerpo y empieza el mío?”

Trecho da música Fusión, de Jorge Drexler
Interpretada por Jorge Drexler
Imagem de Amostra do You Tube

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Não existe presença mais tangível que a falta

“Mãe, que é o mar, mãe? Mar era longe, muito longe dali, espécie de lagoa enorme, um mundo d’água sem fim. Mãe mesmo nunca tinha avistado o mar. Suspirava. Pois mãe, então o mar é o que a gente tem saudade?”

Do personagem Miguilim, em Campo Geral, novela de Guimarães Rosa

sexta-feira, 28 de maio de 2010

A natureza é tão retrô…


Quadrinho de Rafael Campos Rocha
(clique na imagem para ampliá-la)

quinta-feira, 27 de maio de 2010

As coisas não precisam de você?

“Minhas coisas de repente estão tristes
Compreenderam que não existe nada mais entre nós
Meu violão caiu de cima do armário
Suas cordas arrebentaram dando adeus à minha voz
O meu casaco com você se acostumou
Sentiu tanto a sua falta que de tristeza desbotou

Se eu soubesse que eu iria lhe perder
Não teria acostumado minhas coisas com você

Até meu carro já não tem velocidade
Pois ele sente saudade de quando andava com você
Meu telefone que sabia quase tudo de repente ficou mudo
E mais nada quer dizer
O meu relógio sempre certo trabalhou
Depois que ficou sabendo, nada mais ele marcou

Se eu soubesse que eu iria lhe perder
Não teria acostumado minhas coisas com você”

Minhas Coisas, canção de Rossini Pinto
Interpretada por Odair José
Imagem de Amostra do You Tube

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Já ganhou?

De André Dahmer

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Régua

“Não é o grito
A medida do abismo?”

Trecho de A Medida do Abismo, poema de Vinicius de Moraes

quarta-feira, 26 de maio de 2010

O absurdo está sempre à espreita?

Da série Nós, os Vivos, de Ana Teixeira
(clique na imagem para ampliá-la)
Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz