Arquivo de fevereiro de 2010

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Tristeza pega?

“minha mãe está cada vez mais triste
minha irmã está cada vez mais triste
meu pai está cada vez mais triste _
embora esteja mais alegre também _
minha sobrinha está cada vez mais triste
e até meu cunhado está mais triste
se minha avó estivesse viva estaria triste
minha avó que está viva está muito triste
meus tios disfarçam mas é evidente
que sentem o rosto murcho de tristeza
sobre os meus primos prefiro não falar
passam as noites definhando sob a lua
e meu avô só não está mais triste
porque está morto e quando estava vivo
era o homem mais triste deste mundo
se eu tivesse um filho ele seria triste
se fosse alegre ficaria triste
e mesmo que odiasse sua tristeza
nunca seria nada mais que triste”

Estou Ficando Cada Vez Mais Triste, poema de Fabrício Corsaletti

Compartilhar

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

O cúmulo do egocentrismo?

Cartum de Gervasio Troche

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Bahia

– Quanto é o acarajé?
– 4,50.
– Aceita Visa?
– Aceita.
– Me vê seis.
(Passa o cartão, digita a senha.)
– Não tem acarajé.
– Mas eu já paguei.
– Tem não.
– E agora?
– Cabô.
– Me vê em tapioca então.
– Vixi, meu rei, se quisesse comer tapioca tinha era que chegar mais cedo.

A partir do blog Bons Motivos pro Mundo Acabar

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Um consolo ou uma imensa decepção?

“Até o Super-Homem tem medo às vezes.”

De Antonio, meu afilhado de 3 anos

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Amor sincero?

“queria te amar
feito um corsário
um falsário
um pirata cego operando o astrolábio”

Trecho de um poema sem título de Renan Dissenha Fagundes

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Distrito Federal

DEM significa Deu Em Merda?

A partir do artigo Sapatinha posa pro SAPARAZZO!, de José Simão

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Não passo de um homem-objeto?

1
abandonado como um ventilador no inverno

2
sereno
como um copo
recém-lavado
secando no escorredor

3
alegre como um Fusca
atormentado como um Landau magenta
com um anão dentro do porta-malas

Poema Os Últimos Quinze Dias e Depois, de Fabrício Corsaletti

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Árvores não conhecem eufemismos?

Quadrinho de Liniers
(clique na imagem para ampliá-la)

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Salva-se a coruja, mas se afoga o ganso?

“Use camisinha agora e salve a coruja pintada.”

Anúncio em preservativos distribuídos por ambientalistas norte-americanos. Os ativistas defendem que, controlando a natalidade e evitando a superpopulação, a humanidade protegerá espécies animais ameaçadas pelo homem

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Desgosto

“Queria mais um amor. Escrevi cartas,
remeti pelo correio a copa de uma árvore,
pardais comendo no pé um mamão maduro
_ coisas que não dou a qualquer pessoa _
e mais que tudo, taquicardias,
um jeito de pensar com a boca fechada,
os olhos tramando um gosto.
Em vão.
Meu bem não leu, não escreveu,
não disse essa boca é minha.
Outro dia perguntei a meu coração:
o que há, durão, mal de chagas te comeu?
Não, ele disse: é desprezo de amor.”

A Meio Pau, poema de Adélia Prado
Dica de Júlia Medeiros

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz