Arquivo de janeiro de 2010

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Como meus olhos reagiram quando a avistaram pela primeira vez?

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=9Nj7hHdg-kc&hl=pt_BR&fs=1&]

Vídeo da artista japonesa Nagi Noda

Compartilhar

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Um consolo?

“Deixa de ser tonto
se o galã vence por nocaute
o feio ganha por pontos”

Haicai de Xico Sá

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Problemas com o chefe?

Aprenda como solucioná-los rapidamente.

Do Caderno de Rabiscos para Adultos que
Querem Chutar o Balde, de Claire Faÿ

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Sinto mesmo o que sinto?

“Esperem, não devo escrever tudo o que me vem à cabeça. Às vezes, representamos como atores, perante nós próprios, e até aquilo que brota espontaneamente do coração costuma não ser sincero. Os sentimentos usam máscaras até em sua câmara mais íntima.”

Trecho do romance Abdias, de Cyro dos Anjos

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Piada de português

Irritado com as mazelas locais, um motorista de Lisboa vira-se para o estrangeiro que o acompanha no carro e comenta: “Pois o senhor não sabe que Portugal é o país mais desenvolvido do norte da África?”.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

O cúmulo do saudosismo?

Dica de Ricardo Lombardi

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Só conseguimos amar as ideias?

“Os homens não amam aquilo que cuidam que amam. Por quê? Ou porque o que amam não é o que cuidam; ou porque amam o que verdadeiramente não há. Quem estima vidros, cuidando que são diamantes, diamantes estima e não vidros; quem ama defeitos, cuidando que são perfeições, perfeições ama e não defeitos. Cuidais que amais diamantes de firmeza, e amais vidros de fragilidade; cuidais que amais perfeições angélicas, e amais imperfeições humanas. Logo, os homens não amam o que cuidam que amam. Donde também se segue que amam o que verdadeiramente não há; porque amam as coisas, não como são, senão como as imaginam; e o que se imagina, e não é, não o há no mundo.”

Trecho do Sermão do Mandato, de Padre Antônio Vieira

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Entende agora por que nunca gostei de gravata?



Policial reprime ato contra a corrupção diante da Câmara do
Distrito Federal, no dia 11 de janeiro. A foto é de Carlos Silva

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Conceda-me o prazer de olvidar-te?

“Nunca me esqueço de um rosto, mas, no teu caso, vou abrir uma exceção.”

De Groucho Marx
Dica de Júlia Medeiros, do blog Palavroteca

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Causa mortis? Overdose de si

“de tanto curvar-se para olhar o próprio umbigo, um dia o sujeito não pôde mais ficar ereto. com a coluna dobrada ao meio, estudou técnicas tântricas de respiração para que os pulmões funcionassem sem prejuízo de sua saúde, ao mesmo tempo em que reaprendeu a andar baseando o centro de equilíbrio na junção das nádegas esquerda e direita. camisas ganharam botões nas costas, colheres tortas substituíram os antigos garfos, e aos poucos consumaram-se as adaptações necessárias de modo que seu mundo seguisse com poucas alterações significativas. graduou-se com louvor em seis semestres, conheceu a nova zelândia, e aos vinte casou-se com rosa no interior do tocantins. por tornar-se monotemático e tedioso, viu – pelo canto dos olhos – partirem mulher, filho e outros poucos amigos. foram décadas, ao que se sabe, até sua testa colar-se definitivamente ao ventre sem qualquer possibilidade de cura.”

Do blog Ela Tatuou Palavra, de Marcella Franco

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz