Arquivo de setembro de 2009

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Sombra

O mais importante do bordado
é o avesso, é o avesso.
O mais importante em mim
é o que não conheço?

A partir da canção O que Eu Não Conheço, de Jorge Vercillo e J. Velloso

Compartilhar

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Inconsciente coletivo

O povo sabe o que quer, mas também quer o que não sabe?

A partir da canção Rep, de Gilberto Gil

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Chiques?

“São projetos horríveis para configurar o horror.”

Do arquiteto Paulo Mendes da Rocha, refletindo sobre a arquitetura neoclássica que impera em centros comercias de luxo de São Paulo, como a Villa Daslu

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Senhora do sono

“Aos 4 anos, eu achava que minha mãe inventava os sonhos que eu tinha de noite. Se de manhã ela me perguntava, como às vezes fazia, o que eu havia sonhado, era só para saber se eu ia dizer a verdade.”

Trecho do romance O Jardim de Cimento, de Ian McEwan, traduzido por Jorio Dauster

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Peter Pan?

“Não quero morrer pois quero ver
como será que deve ser envelhecer.
Eu quero é viver pra ver qual é
e dizer ‘venha’ pra o que vai acontecer.”

Trecho da canção Envelhecer, de Arnaldo Antunes, Marcelo Jeneci e Ortinho

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Novela das oito?

“A televisão por programação horária é herdeira do rádio, que foi o primeiro meio que começou a nos organizar a vida cotidiana. Na Idade Média, o campanário era que dizia qual era a hora de levantar, de comer, de trabalhar, de dormir. A rádio foi isso. A rádio nos foi pautando a vida cotidiana. O noticiário, a radionovela, os espaços de publicidade… Essa relação que os meios tiveram com a vida cotidiana, organizada em função do tempo, a manhã, a tarde, a noite, o fim de semana, as férias, isso vai acabar. Teremos uma oferta de conteúdos. A internet vai reconfigurar a TV imitadora da rádio, a rádio imitadora da imprensa escrita. Creio que vamos para uma mudança muito profunda, porque o que entra em crise é o papel de organização da temporalidade.”

Do filósofo espanhol Jesús Martín-Barbero na reportagem Comunidades Falsificadas

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Tem Mussum no funk?

“One, two, tri
Você foi na minha casa me chamando de safado
Dizendo pra minha família que eu só ando embriagado
Embriagada é minha sina
Eu nasci pra ser bebum
Vou te dar uma boa ideia se pagar 51″

Versos de Melô do Bêbado, hit do MC Batata que fazia parte do LP Funk Brasil. Lançado há 20 anos, o disco registrou os primeiros funks cariocas produzidos no país

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Como o professor deveria reagir?

“A lousa está repleta depois dos 50 minutos da aula de português. O adolescente presta atenção à explicação do professor, mas não copia nada. Quando toca o sinal, ele pega o celular, aciona a câmera e registra tudo em um clique. O episódio aconteceu no colégio Santa Maria, na zona sul de São Paulo.”

Trecho da reportagem Tecnologia e violência são novos desafios, publicada pela Revista da Folha

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Especiais?

“Ah, o sol é comum
comuns são as dores
e os amores comuns.
Nenhum de nós
tem um sol diferente no jardim.”

Trecho da canção O Sol É Comum, de Clima

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

O jornalismo não é uma profissão fofinha?

Cartum de Pablo Carranza

Contato | Bio | Blog | Reportagens | Entrevistas | Perfis | Artigos | Minha Primeira Vez | Confessionário | Máscara | Livros

Para visualizar melhor este site, use Explorer 8, Firefox 3, Opera 10 ou Chrome 4. Webmaster: Igor Queiroz